Receptivo Vale do Ribeira

Receptivo Vale do Ribeira


  •  Apiaí

    Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira - Petar

     

    O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira - PETAR - é uma Unidade de Conservação administrada pelo Instituto Florestal -IF- da Coordenadoria de Informações Técnicas, Documentação e Pesquisa Ambiental - CINP - da Secretaria do Meio Ambiente - SMA -. Esta Unidade localiza-se na região do Alto Ribeira, no Vale do Ribeira, considerada o segundo contínuo ecológico mais bem preservado da Mata Atlântica do estado de São Paulo.


    Complexo de Grutas do Núcleo Caboclos

    Localizado nas imediações da rodovia vicinal que conduz ao bairro Espírito Santo, a 19 quilômetros da rodovia Apiaí / São Paulo, reúne, além de algumas importantes grutas calcárias, uma extensa área verde com bem cuidadas campinas e límpidos riachos. Apresenta-se como o local ideal para a prática do campismo. Encontra-se totalmente dentro do PETAR. Da gruta Caboclos pode-se alcançar, numa saudável caminhada, muitas das grutas localizadas nas vizinhas matas de Iporanga, com destaque para a gruta Monjolinho, uma das primeiras descobertas na região e que, pela dificuldade de acesso a partir de Iporanga, tem sido pouco visitada, encontrando-se assim quase intacta. As grutas mais visitadas são: Espirito Santo, Chapéu, Chapéu Mirim I e II, Desmoronada, Pescaria, etc.


    Caminho de Iporanga

    Trilha aberta pelos primeiros aventureiros e tropeiros, da qual existem nítidos vestígios até hoje. Foi por ela que os soldados constitucionalistas de 1932, encurralados em Apiaí, empreenderam a épica e trágica retirada para Iporanga, com o propósito de alcançarem Iguape e retornarem as suas origens, livrando-se da tenaz perseguição dos chamados legalistas.


    Morro do Ouro

    Nos primeiros tempos foi chamado de Morro da Descoberta, depois, Morro de Dom Pedro e, finalmente, Morro do Ouro.
    G igante adormecido ao lado da cidade, o Morro do Ouro ensejou o nascimento de Santo Antonio das Minas de Apiahy, com a fixação do minerador livre e seu acervo de escravos. Seu pico mais alto localiza-se no marco NCT-17 (torre da Telesp), denominado "Do Corvo", está a 1.108 m . do nível do mar e é o mais alto de todo o Vale do Ribeira, em pleno espigão da serra de Paranapiacaba. Encravado em um terreno demarcado com a área de 86 alqueires, revestido de Mata Atlântica ainda intocada, suas encostas e suas entranhas guardam vestígios nítidos de toda a mineração aurífera do município, desde os tempos do simples e proveitoso garimpo até os trabalhos com recursos mais modernos e funcionais que se encerraram nos primeiros anos da década de 40 deste século.

  •  Barra do Turvo

    Rio Pardo (pesca de bote ou canoa)

    Rio Turvo (rafting, bóia-cross)

    Cachoeira Dito Salu e a cachoeira do Meio na Estação Três Quedas (Cascading, trilhas, observação da Mata Atlântica).

    Cachoeiras do Fria (Aguatrek)

    Cachoeira do Salto do Inferno

    Caverna do Fria

    Cavernas existentes não exploradas no Sertão do São João.

  •  Cananéia

    Trilha do Mangue

    Trilha do Morro das Almas

    Trilha do Poço das Antas

    Trilha do Sambaqui e do Costão Rochoso

    Parque Ecológico na Serra D´água

    praias do Itacuruçá, Ipanema

    Enseada da Baleia

    Ponta do Sul

    Serra


    Cachoeira Grande

    Passeio de barco com duração de aproximadamente 30 minutos pelo Canal do Ararapira, chegando à trilha de 800 metros que leva à Cachoeira Grande, com observação de ruínas de uma antiga serraria que funcionou até a década de 50.


    Piscinas da Lage

    Passeio de 24 km pelas Praias do Marujá, travessia de Costão Rochoso e Praia da Lage, chegando à trilha que leva aos três poços de água doce formados pelo Rio Cambriú, com parada para banho no último poço.


    Passeio pelas Praias da Lage, Foles até o Rio Cambriú

    Travessia de 24 km pelas Praias do Marujá, Costão Rochoso, Praia da Lage (com 06 km de extensão), Praias do Foles, Fole Pequeno e Cambriú, chegando ao Rio Cambriú, que deságua no Oceano Atlântico.


    O Parque Estadual da Ilha do Cardoso (PEIC)

    Está localizado no extremo sul do litoral de São Paulo, no município de Cananéia. 
    Criado pelo Decreto nº 40.319 de 03/07/1962, abrange uma área de 15.100 ha , onde são encontrados todos os tipos de vegetação da Mata Atlântica costeira que proporcionam uma variedade extraordinária de ambientes e uma alta diversidade biológica. 
    O PEIC integra o Complexo Estuarino Lagunar de Iguape-Cananéia-Paranaguá, que se estende pelo litoral desde Peruíbe (SP) até Paranaguá (PR). É considerado um dos maiores criadouros de espécies marinhas do Atlântico sul, sendo prioritária a sua conservação.
    São encontrados numerosos sambaquis (sítios arqueológicos), ruínas da ocupação humana a partir do período colonial e um marco do tratado de Tordesilhas, que também garantem grande importância histórica ao Parque.


    Bom Abrigo

    Esta situada na Barra de Cananéia, a uns 5 km da ponta sul, com 3 milhas de extensão e seu ponto culminante a 142 m de altura. 
    Possui um belo costão de pedras voltado para o sul, de onde normalmente vem o mal tempo, tem do lado oposto uma linda enseada protegida onde uma praia de areia branca que permite o fácil desembarque. Por isso o nome Bom Abrigo. 
    No ponto mais alto da Ilha do Bom Abrigo está o farol. Subindo lá,uma brisa refrescante sopra, tem uma vista maravilhosa e ouve-se a arrebentação do mar no costão. O local ideal p/ pescar, nadar ou simplesmente curtir o paraíso.

  •  Eldorado

    Cachoeira do Funil

     


    Vale das Ostras

    Trilha pela mata que acompanha o Ribeirão das Ostras, que passa por nove cachoeiras até a chegada à maior delas, a Queda de Meu Deus, com aproximadamente 53 metros de altura.


    Cachoeira da Luz

    É propício para o cascading e para o bóia-cross.


    Cachoeira do Araçá

    Após uma caminhada de 200 metros chega-se a essa bela cachoeira. Passeio indicado para pequenos grupos, o percurso é feito a partir do pátio da caverna.


    Cachoeira do Assentado

    Após percorrer uma trilha em meio à mata nativa, o visitante pode desfrutar de duas cachoeiras: a do Assentado I, com 15 metros de altura e Assentado II, com cerca de 80 metros . O cascading é praticado no salto menor. No mesmo passeio é possível brincar no toboágua natural e descer o Rio Batatal, realizando o bóia-cross. Situado a 45 quilômetros da cidade. Bairro do Assentado.


    Cachoeira do Sapatu

    Localizada a 28 quilômetros da cidade, depois de 120 metros chega se à queda d'água, que é propícia para pequenos grupos. Acesso pela SP - 165.


    Gruta da Tapagem/Caverna do Diabo

    Com uma excelente infra-estrutura, o visitante pode se embrenhar por uma caverna, ao longo de seus 8.000 metros de galerias e salões, que tem fama internacional. A caverna apresenta quase 600 metros abertos para visitantes, com passarelas de concreto com corrimão, iluminação e escadas. O belo cenário ainda é composto por uma cachoeira. A 43km de Eldorado, na Rodovia SP-165, Estrada Iporanga.


    Trilha do Lamarca

    Passagem do Guerrilheiro Carlos Lamarca, que durante a ditadura se embrenhou por essas matas, no qual as grandes atrações do roteiro são as Cachoeiras de Santa Isabel, com aproximadamente 20 m de altura e a Cachoeira da Luz, com 60 m de altura. Nesta trilha,no Rio Batatal, é realizado o Acquaride.


    Mirante do Cruzeiro

    Á 540 metros de altitude, o Mirante do Cruzeiro se encontra na Serra da Bulha onde em dias claros e sem nebulosidade, avista-se o mar (a 70km de distância), a Estação Ecológica da Juréia, toda a cidade de Eldorado e outras cidades do Vale do Ribeira.


    Parque Estadual do Jacupiranga

    Santuário ecológico situado na Serra do Paranapiacaba, abriga a Caverna do Diabo. Acesso pela SP-165.


    Parque Municipal Salto da Usina

    Hoje em dia, a Usina encontra-se em ruínas, mas no passado a construção abastecia a cidade com energia elétrica. Distante nove quilômetro do centro, na Estrada da Usina.


    Queda do Meu Deus

    Salto d'água de 53 metros , integrante de um roteiro chamado Vale das Ostras, possui mais de 10 quedas e vários pontos para banho. Na Cachoeiras do Palmito e na do Funil é possível a prática do cascading. Acesso pela SP-165.


    Salto da Primeira Ilha

    Uma das principais cachoeiras da região, fica localizada na estrada SP-165, no quilômetro 17, seguindo pela Estrada Municipal do Vergueiro, com mais de 200 metros de trilha na mata.


    Trilha do Bugio

    O passeio reserva vários pontos interessantes, entre eles a travessia das grutas Rolado II e o Rolado III. 
    O percurso tem a duração de quatro horas. Início no Pátio da Caverna do Diabo. Localizada na Mata Atlântica, a trilha possui cinco quilômetros de extensão e permite a identificação de várias espécies da flora e fauna, além de dar acesso à Cachoeira do Araçá e a três cavernas selvagens.


    Usina

    Em tempos antigos uma pequena hidrelétrica gerava energia para toda a cidade. Restando hoje, somente as ruínas que lembram sua história. Águas cristalinas, corredeiras, pequenas quedas e piscinas para banho formam um belo cenário.


    Quilombos

    Símbolo de resistência e luta pelos ideais, as comunidades quilombolas se espalharam pelo município onde os remanescentes expressam suas tradições através de danças, comidas, agricultura e artesanato.

  •  Iguape 

    Trilha Ecológica da Vila Alegria (Barra do Ribeira)

     

    Trilha Ecológica do Morro do Espia

    Trilha do Imperador (Juréia)

    Trilha do Outeiro do Bacharel (Icapara)

    Mirante do Morro do Espia

    Toca do Bugio

    Mar Pequeno ou de Iguape

    Caverna do Índio

    Cachoeira Azul

    Praia da Juréia - Barra do Ribeira

    Praia do Costão da Juréia

    Praia do Leste

    Praia de Icapara

    Praia do Rio Verde

    Fonte do Senhor / Parque Florestal Municipal do Morro do Espia

    Estuário Lagunar do Mar Pequeno (manguezais)


    Cachoeira Azul

    Localizada no interior da Estação Ecológica da Juréia, é uma das mais belas da região, porém seu acesso é difícil.


    Caverna do Índio

    No local, foram encontrados sambaquis (depósitos antigos, situados na costa, lagoas ou rios do litoral, formados de montões de cochas, restos de cozinha e de esqueletos amontoados por tribos selvagens que ali habitaram). Situada no Sopé do Morro do Espia.


    Estação Ecológica da Juréia e Itatins

    A estação compreende uma área de 82 mil hectares, estando presentes nos municípios de Iguape, Peruíbe, Itatins e Miracatu. Local de beleza selvagem, que reserva morros, praias, mangues e floresta e que exibe fauna e flora silvestre. Para entrar na estação é preciso obter uma autorização junto ao Estado.

  •  Ilha Comprida

    Praias

    74 quilômetros de praias sem poluição. Trata-se da segunda maior praia em extensão do Brasil. Há várias opções: desde as praias mais movimentadas até as desertas.

    Ponta da Praia

    É o extremo norte, onde a praia é mais estreita, dotada de extensas dunas. De lá pode-se apreciar a vista do município de Iguape, a Barra de Icapara e as vastas matas da Juréia. 
    Pouco freqüentada pela distância do centro e por ser difícil acesso, conta com muitas casas de veraneio e pequena Vila de Pescadores. Local predileto dos motoqueiros e dos adeptos do Clube do Jeep, por suas dunas e trilhas ainda primitivas, Não aconselhável para banhistas, junto a foz do canal do Mar Pequeno, as correntes são perigosas.

  •  Iporanga

    O PETAR - Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira

    A origem do Parque está relacionado às visitas de naturalistas que freqüentavam a região do Vale do Ribeira que já indicavam a existência de belíssimas cavernas. Um pesquisador austríaco, Ricardo Krone, revelou a existência de 41 cavernas, além de sítios arqueológicos e paleontológicos. Já em 1906 realizou-se uma expedição organizada pela Comissão Geográfica que encaminhou pedido de desapropriação de imóveis com presença de cavernas com vocação turística. Em 1956 foi feita a primeira proposta para a criação do Parque e após uma mobilização de órgãos públicos e campanha do Jornal "A Gazeta", em 19 de maio de 1958, o Petar, efetivamente, passou a existir.


    Cachoeira das Andorinhas

    Possui 25 metros de altura que impressionam pela beleza e pela força das águas que descem formando um redemoinho gigante. Abriga muitas andorinhas que saem em revoada em determinados momentos do dia. O acesso é pela Trilha do Bethary, estando no fim desta e após quatro horas de caminhada em média. Pode se fazer cascading.


    Cachoeira passa vinte

    De beleza sem igual, do alto de seus 75 metros é possível praticar cascading (rapel na cachoeira) e sentir pura adrenalina na descida.


    Caverna Água Suja

    Esta caverna localiza-se a 1,2 km do posto de guias (núcleo Santana), sendo que o acesso é feito pela Trilha do Bethary. O percurso interno inicia-se na entrada principal e segue acompanhando o curso d'água até a cachoeira (onde passa-se por um teto baixo). 
    Este percurso possui aproximadamente 1.300 metros e nele passamos por grandes estalactites, travertinos e por um túnel de vento.


    Trilha do Bethary

    Localizada na Trilha do Bethary, é caracterizada por suas belas formações (espeleotemas), como por exemplo, as estalactites que em sua extremidade possuem forma de botão.


    Caverna do Couto

    Caverna que possui em sua entrada em uma boca bem pequena. Para quem quiser se aventurar em seus 471 metros de extensão, a recompensa será a visão de um grande jardim natural que se forma do outro lado do morro, em sua outra boca. 
    No interior desta caverna, se encontra a ressurgência das águas que vêm da Caverna Morro Preto.


    Caverna Santana

    A principal caverna é a Santana, uma das mais longas e ornamentadas do país. Tem 7 Km mapeados e supõe-se 15 de extensão. É atravessada pelo Rio Roncador. A área aberta ao público é de 800 metros , sendo o "circuito turístico" de 490 metros com percurso acompanhado por guias locais e os restantes de 310 metros só podem ser visitado por guia especializado, conhecedor do roteiro. 
    A duração da visitação é de aproximadamente uma hora e meia, na qual percorre-se a galeria do Rio Roncador que dá acesso a galerias superiores, ricas em formações. É nesta caverna que encontra-se o salão Taqueopa, considerado o mais ornamentado do mundo.


    Cachoeira das Andorinhas

    Belíssima trilha, que se inicia no posto de guias (núcleo Santana), atravessa o Ribeirão Furnas e segue margeando o Rio Bethary em direção à sua nascente. Em alguns pontos, torna-se necessária a travessia do rio pela água. 
    O percurso total é de 3,6 km que são feitos em média de 4 horas. Durante o percurso é possível observar diferentes formações rochosas, solos e tipos de vegetação com sua fauna característica.


    Cachoeira Beija Flor

    Bela cachoeira com grande volume d água que forma uma deliciosa piscina natural. Tem aproximadamente 30 metros de altura e está localizada a 100 metros da Cachoeira das Andorinhas. 
    O acesso é feito pela Trilha do Bethary, após caminhada de aproximadamente quatro horas.


    Cachoeira sem fim

    Através de uma trilha, percorre-se o trecho que leva às três quedas que a compõem. A maior das quedas tem 6 metros de altura e é ótima para a prática de rapel (cascading). 
    Todas as quedas são lindas e formam piscinas que são um convite a um banho refrescante. Tem esse nome porque os moradores nunca conseguiram encontrar sua nascente.


    Caverna Alambari de baixo

    Caverna que alia a beleza das formações com a aventura de atravessá-la com a água pela cintura. 
    Para chegar, há uma trilha que parte do Bairro Serra e dura aproximadamente 50 minutos até a entrada da caverna. A travessia até o outro lado do morro leva em torno de duas horas, em um percurso de 890 metros no seu interior, em um misto de trechos secos e trechos com água.


    Caverna Laje Branca

    Majestosa por suas dimensões, a caverna possui 130 metros de boca. Oferece como opções o rapel em sua boca ou a visitação de seus 630 metros de percurso interno, este surpreendente pela grandeza de seus salões, entre eles um grande salão com enormes dunas de areia. O acesso é feito por trilha, que prima pela beleza e diversidade de flora e fauna.


    Caverna Morro Preto

    Caverna que impressiona pelo tamanho e beleza de sua boca. Logo na entrada, se vê uma grande coluna formada por escorrimentos da dissolução do calcáreo. Mais adiante, já dentro da caverna, chegamos a um salão chamado anfiteatro que nos permite ver o modo majestoso com que a luz entra na caverna. 
    Além das ornamentações gigantescas, as fendas e os abismos chamam a atenção nesta caverna.


    Caverna Ouro Grosso

    É a chamada caverna “adrenalina” caracterizada pelas muitas cachoeiras que formam profundos poços em seu interior. Para visitá-la é necessário transpor as cachoeiras com o auxílio de equipamentos de escalada. A extensão desta caverna é de 1.100 metros .


    Mirante da Trilha/Mirante

    Local onde avista-se todo o Vale do Bethary, tendo ao fundo como trilha sonora o som das cachoeiras

  •  Juquiá

    Corredeiras do Assungui

    A 20 Km do Centro – Ideal para banho, pesca e canoagem. Acesso pela SP 79 no Km. 193, a 500m da ponte sobre o Rio Assungui.

    Cachoeira do Tatá

    A 4 km do Centro – Esta cachoeira tem queda livre de 12 m com um volume pequeno de água formando um poço. É possível observar espécies vegetais como bromélias e samambaias. Local agradável para banho. Acesso pela SP- 165 até o Km. 02. Em seguida, pela estrada do Ribeirão dos Santos (terra) até o Sítio do Tatá. Atravessar o Ribeirão a pé. Passando a porteira acompanhar o ribeirão até a cachoeira. É necessário autorização do proprietário.


    Cachoeira do Cedro

    A 12 Km do centro – Localizada no ribeirão do mesmo nome. O local apresenta uma série de 3 cachoeiras e piscinas naturais. Oferece bela vista da Serra do Juquiá-Guaçu. Acesso pela Estrada do Cambuci. No Km. 408 da BR-116 entrar á direita no sentido São Paulo e tomar a Estrada do Cambuci. O trajeto não é aconselhável para automóveis não tracionados.


    Cachoeira do Pouso Alto

    A 08 Km do centro – Corredeiras formando piscinas naturais. Acesso pela Estrada do Pouso Alto. Entrada do Sítio dos Colibris.


    Sítio dos Colibris

    A 07 Km do Centro – Estrada do Pouso Alto – Criação de Aves exóticas – Papagaios - Visitação deve ser agendada.

  •  Pariquera-Açu

    Parque Municipal da Cultura Indígena

    Local onde encontram-se vestígios e civilização, dos índios que ali habitavam. Podem ser encontrados, também, lugares com Sambaquis próximos ao rio Jacupiranga.
    No parque existem pedras sobre pedras, que segundo a lenda, ali encontram-se o altar dos índios. 
    Há projetos da atual administração para resgatar a cultura indígena. Serão construídos varias ocas e uma infra-estrutura para possibilitar a visitas de escolas para aprendizado da cultura indígena e receber turistas.


    Parque Estadual da Campina do Encantado

    É um local com grande potencial e pode ser alvo de um belo empreendimento. 
    É um local muito especial por ter sido preservado graças ao fato de estar protegido por uma região alagadiça. 
    O parque tem 2.359 hectares de área, situa-se entre os rios Pariquera-Açú e Pariquera-Mirim que deságua no Ribeira. O local é, também, chamado de Floresta Mágica. 
    Caminhando nas trilhas que conduzem ao interior das belezas naturais do parque vão se descobrindo raridades da Mata Atlântica como: Sambaquis, cortinas de cipós, a árvore torneada, a árvore que domina a floresta, a cama de onça, o campo de orquídeas, o jardim das bromélias, pássaros, animais como o cateto, quati, tatu e outros que ali vivem. 
    Entretanto, o que encanta, pela beleza e mistérios, é o fogo que sai do chão - área central do parque que esconde mistérios e lendas.

  •  Sete Barras

    Carlos Botelho

    Parque estadual em Sete Barras (cachoeira). Fauna propicia para observação de pássaros.