Cursos de Idiomas


  •  Idiomas

    Cursos de idiomas no exterior

    Quantos cursos de idioma no exterior oferecemos? São sete línguas diferentes (inglês, espanhol, francês, alemão, italiano, chinês e japonês) ensinadas em mais de 15 países, como por exemplo, África do Sul, Alemanha, Argentina, Canadá, Chile, China, Espanha, Estados Unidos, França, Inglaterra, Irlanda, Itália, Japão, Malta, Nova Zelândia etc. É a oportunidade perfeita para uma imersão completa no idioma, estudando e vivendo no país onde a língua é falada.

    Qual a duração dos cursos de idioma no exterior? Você decide por quanto tempo quer estudar! Os cursos duram de uma semana até um ano, com períodos de férias. Tudo vai depender do tipo de intercâmbio escolhido. Além da duração, os cursos também possuem cargas horárias diferentes, por exemplo:

    Geral: Os cursos gerais possuem carga horária menor – por volta de 15 a 20 aulas por semana, o que permite ao aluno estudar o idioma em um período (de manhã ou à tarde) e aproveitar o restante do dia para se dedicar a outras atividades.

    Semi-Intensivo: Os cursos semi-intensivos possuem carga horária intermediária – por volta de 24 ou 25 aulas por semana – e normalmente se iniciam de manhã e seguem por até uma parte da tarde. Esses cursos oferecem mais atividades para quem quer aprender mais o idioma, sem deixar de aproveitar o dia com atividades de lazer.

    Intensivo: Os cursos de idioma intensivo possuem carga horária maior – a partir de 30 aulas por semana –, com as aulas iniciando-se de manhã e terminando no final da tarde ou no início da noite. Esses cursos são indicados para os alunos que buscam imersão completa no idioma para obter fluência mais rapidamente. A duração das aulas varia de 40 minutos a 1h, dependendo da escola.

    Há aulas particulares no exterior? Sim! As aulas individuais são indicadas para os estudantes que queiram se desenvolver mais rapidamente e que tenham objetivos específicos. Elas servem de complemento às aulas em grupo.

    Posso estudar e trabalhar no exterior? Alguns países permitem que os estudantes trabalhem durante o período de aulas, mas há regras! Cada país determina suas próprias exigências e isso pode interferir no tipo de curso, de visto e na quantidade de semanas (por exemplo, na Irlanda os alunos que estejam matriculados em cursos a partir de 25 semanas têm permissão para trabalhar, já na Nova Zelândia, os alunos devem estar matriculados em cursos a partir de 14 semanas, na Austrália, o curso deve ser de, no mínimo, 12 semanas e assim por diante).

    Qual a idade mínima e máxima para estudar no exterior? Há cursos para todas as idades. Oferecemos cursos de idioma no exterior para estudantes a partir de 14 anos. O ideal é escolher um curso (e uma escola) que atenda ao seu perfil.

    Quer um exemplo? Os cursos para maiores de 50 anos são geralmente uma combinação de idioma e hobby. Essas atividades (à escolha do aluno) podem ser culturais, artísticas, gastronômicas, históricas, entre outras.

    Qual nível mínimo de conhecimento no idioma é preciso ter para fazer um curso no exterior? Há cursos com nível básico (para quem ainda não fala nada da língua estudada ou sabe um pouco sobre ele); intermediário (para quem já tem algum conhecimento na gramática e até arrisca algumas frases), ou avançado (para quem já possui conhecimento prévio no idioma, mas ainda não tem fluência).

    Quanto tempo é necessário para se aprender um idioma? A primeira pergunta a se fazer é onde você está e aonde quer chegar. Normalmente, para uma pessoa com nível de conhecimento no idioma básico, por exemplo, recomendamos um tempo mínimo de 24 semanas para ter fluência. Vale lembrar, que aprendizado de idiomas não é matemática. Cada um tem seu tempo e estilo de aprendizado.

    Aonde vou me hospedar? Há diversos tipos de acomodação no exterior, que variam de acordo com a cidade e a escola na qual se vai estudar. Elas podem ser casas de família (homestay), campus universitário, residência estudantil, apartamento e hotéis, para que o estudante tenha a opção que se encaixa em suas expectativas.

    Confira as opções de acomodação

    Casa de família (Homestay): É uma das melhores maneiras de entrar em contato com a cultura do país escolhido, participar da vida cotidiana e praticar o idioma num ambiente autêntico. Existem opções de quartos individuais ou duplos e você pode escolher quantas refeições deseja fazer em casa.

    Residência estudantil: Ideal para você que deseja conviver com alunos de outras nacionalidades. As residências estudantis garantem flexibilidade com relação aos horários de chegada e saída e os quartos e banheiros, na maioria dos países, são compartilhados, porém, existem opções de acomodação com quarto e banheiro privativos.

    As residências oferecem vários planos de refeição, e algumas ainda incluem cozinhas comunitárias para que o estudante tenha a liberdade de preparar suas próprias refeições.

    Campus universitário: Se você quer vivenciar o ambiente universitário, interagir com universitários locais e usufruir de toda a infraestrutura de um campus, que inclui instalações esportivas, refeitório, salas de computação e bibliotecas esta á a opção certa para você. Nesta opção de acomodação as refeições são feitas no refeitório da universidade e geralmente os quartos e banheiros são compartilhados.

    Hotel/Flat: Opção perfeita para quem deseja conciliar independência e conforto, controlando seus horários e suas refeições da melhor forma.

    Albergue: Se você busca independência e economia, essa é uma ótima opção. Os albergues abrigam estudantes do mundo inteiro de forma segura e, geralmente, estão localizados em regiões centrais das cidades, com fácil acesso ao transporte público e às principais atrações locais.

    Apartamento mobiliado: Ideal para você que busca uma opção econômica com mais independência. Os apartamentos estão localizados, geralmente, nas regiões centrais e são inteiramente equipados com móveis, cozinha, eletrodomésticos, etc. Você ainda pode optar por apartamentos individuais, duplos ou triplos.

    Cursos de idiomas no exterior acima de 30 anos: Aprender uma língua no exterior não é mais privilégio só para os adolescentes e jovens. Os intercâmbios também têm atraído muita gente que já passou dos 30, 40 e 50 anos. Pessoas que, agora, aproveitam as férias ou um tempo maior disponível para aprender ou melhorar um idioma no exterior. Surgiram, assim, escolas voltadas exclusivamente a este público 30+. O estudante tem a oportunidade de fazer um ótimo curso de inglês em salas exclusivas para alunos acima dos 30 anos. Isso faz com que o aproveitamento em sala de aula seja mais interessante, já que os objetivos dos alunos são geralmente próximos. Além disso, é oferecido um calendário de atividades, fora da sala de aula, também voltado para esta faixa etária, o que intensifica ainda mais o desenvolvimento do idioma. Vale ressaltar que uma pessoa acima dos 30 anos pode fazer parte de outros cursos no exterior, regulares e destinados a adultos acima de 18 anos, caso não se importe de se relacionar com pessoas de diversas idades em sala de aula. Esta opção do intercâmbio 30+ é destinada a estudantes que têm preferência em estudar no exterior com pessoas na mesma faixa etária.

    Cursos de idiomas no exterior para terceira idade: Fazer o programa de intercâmbio na Terceira idade no exterior deixou de ser privilegio somente para jovens, ainda bem! Hoje, há programas de intercâmbio exclusivos para pessoas acima de 50 anos, o Intercâmbio Terceira Idade. Conhecidos como 50+, são programas que combinam aulas de idioma com atividades culturais e excursões, destinados aos aventureiros da melhor idade. Feito sob medida para quem quer aprender ou aperfeiçoar o idioma de maneira leve e descontraída e viver uma experiência cultural única. Além de estudar, o viajante terá a oportunidade de conhecer lugares turísticos e ainda conviver e fazer novas amizades com pessoas da mesma faixa etária, provenientes de diversas partes do mundo.
    Idade mínima: 50 anos.
    Idade máxima: Não há limite;
    Duração do programa: A partir de 2 semanas;
    Tipo de hospedagem: Casa de família, apartamento ou hotel.Vale ressaltar que uma pessoa acima dos 50 anos pode fazer parte de outros cursos no exterior, regulares e destinados a adultos acima de 18 anos, caso não se importe em se relacionar com pessoas de diversas idades em sala de aula. Esta opção de intercâmbio para a Terceira Idade é destinada a pessoas que têm preferência em estudar no exterior, com pessoas na mesma faixa etária.

    Cursos de Idiomas: Inglês, Espanhol, Francês, Alemão, Italiano e Mandarim.

    Países: África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Canadá, Chile, China, Emirados Árabes, Escócia, Espanha, Estados Unidos, França, Inglaterra, Irlanda, Itália, Malta, Nova Zelândia, Suíça e Uruguai.

  •  Idiomas + Hobby

    Como funcionam os cursos de idioma com hobby no exterior? A dobradinha idioma + hobby é uma boa pedida para quem quer fazer intercâmbio e ainda se divertir praticando alguma atividade de sua preferência. Esses cursos geralmente acontecem em jornada dupla, com aulas de idioma pela manhã e atividades à tarde ou nos finais de semana.

    Quais tipos de atividades são possíveis fazer? Há diversas opções para escolher, dependendo da escola e do país de interesse, e podem ser dança, culinária, arte, negócios, mergulho, diversas modalidades de esporte, fotografia, moda, entre outras.

    Em quais países esses cursos acontecem? Os cursos de idioma + hobby acontecem em países como Espanha, Estados Unidos, Austrália, Itália, Argentina e Chile.

    Qual a duração desses cursos? Os cursos têm durações variadas, mas normalmente acontecem a partir de uma semana.

    Por que fazer um curso combinado? Os cursos de idioma combinados com atividades são perfeitos para aprender enquanto se diverte. As aulas de idioma pela manhã oferecem o conhecimento necessário para se comunicar na língua escolhida pelos alunos, e as atividades à tarde ou nos finais de semana dão a eles a oportunidade de praticarem o que aprenderam fazendo algo que gostam.

    Cursos de Idiomas – Hobby: Idioma + Esporte * Idioma + Culinária * Idioma + Moda * Idioma + História e Cultura * Idioma + Dança * Idioma + Cinema.

    Hobby: Artes, Cinema, Criatividade, Culinária, Dança, Design, Esportes, Fotografia, História e Cultura, Marketing e Comunicação e Moda.

    Idiomas: Espanhol, Francês, Inglês e Italiano.

    Países: África do Sul, Argentina, Austrália, Canadá, Chile, Espanha, Estados Unidos, França, Inglaterra, Itália, Nova Zelândia e Suíça.

  •  Preparatório

    Cursos preparatórios para testes de proficiência

    Idiomas: Alemão, Espanhol, Francês e Inglês.

    Países: África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Canadá, Escócia, Espanha, Estados Unidos, França, Inglaterra, Irlanda, Malta e Nova Zelândia.

    Conheça abaixo os testes de proficiência que podem avaliar o seu conhecimento nos mais diversos idiomas:

    TOEFL IBT

    TOEFL IBT: O Test of English as a Foreign Language é um exame que avalia a sua capacidade de usar e compreender o inglês no nível universitário, checando seu desempenho nas quatro habilidades do idioma – leitura, audição, escrita e conversação.

    O que é o TOEFL IBT? O TOEFL (em inglês, “Test of English as a Foreign Language”) é um exame que avalia a sua capacidade de usar e compreender o inglês no nível universitário. Ele avalia as quatro habilidades do idioma – leitura, audição, escrita e conversação. Ele é aplicado online em locais certificados no Brasil ou exterior e, por isso, é conhecido como “iBT”, sigla em inglês para Internet Based Test.

    Quem deve fazer o TOEFL e para que ele serve?

    Alunos que queiram estudar principalmente em universidades nos Estados Unidos, mas também em outros países como o Canadá.

    Alunos que se candidatar a bolsa de estudos no exterior.

    Alunos que queiram cursar mestrado ou doutorado em universidades públicas e particulares brasileiras. A Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), duas das melhores instituições brasileiras, aceitam o teste como comprovação de conhecimento em inglês na seleção de seus pós-graduandos.

    Alunos que já estudam inglês e queiram saber seu nível do idioma para monitorarem seu progresso e superarem possíveis dificuldades.

    Onde ele é aceito? O TOEFL é aceito em mais de 9.000 instituições de ensino superior em todo o mundo, principalmente nos Estados Unidos. Várias empresas multinacionais também reconhecem o TOEFL em seus processos de seleção para cargos dos mais variados níveis. Universidades brasileiras aceitam o teste como parte da seleção de candidatos a mestrado e doutorado. Nos Estados Unidos, várias universidades sugerem uma pontuação mínima no exame para que o aluno possa se candidatar a uma vaga na instituição.

    Quando e como posso fazer o TOEFL? O TOEFL é oferecido em datas fixas mais de 50 vezes ao ano. Pode ser feito no Brasil ou no exterior.

    Posso repetir o exame se não tiver um bom desempenho? Sim, você poderá repetir o exame. Mas fique atento: isso só pode acontecer de depois de, no mínimo, 12 dias.

    Como funciona a pontuação do TOEFL? São avaliadas as quatro habilidades do idioma da seguinte forma:

    Leitura – 0 a 30 - Audição – 0 a 30 - Conversação- 0 a 30 - Escrita – 0 a 30 - Total final 0 – 120
    Não há uma pontuação de aprovação ou reprovação. Cada instituição superior define seus próprios critérios.  Importante: as pontuações são válidas por dois anos! Depois disso, caso você precise apresentar sua pontuação, nossa orientação é que você faça um novo teste.

    IELTS

    IELTS: O International English Language Testing System tem duas opções para os estudantes. Na Acadêmica é testado o nível de proficiência em inglês de alunos que queiram fazer universidade fora do Brasil, por meio da avaliação das quatro habilidades do idioma – escrita, fala, leitura e audição. Já na General Training, é observado o nível de proficiência em um contexto prático do dia-a-dia. Esta versão do exame geralmente é exigida para aqueles que desejam imigrar para trabalhar em empresas no Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia.

    O que é o IELTS? IELTS quer dizer – International Language Testing System (Sistema Internacional de Teste da Língua Inglesa).

    Ele é dividido em:

    IELTS acadêmico, que testa o nível de proficiência em inglês para alunos que queiram fazer universidade fora do Brasil, principalmente no Reino Unido, na Austrália e na Nova Zelândia. O exame avalia as quatro habilidades do idioma –  escrita, fala, leitura e audição.

    IELTS General Training, que testa o nível de proficiência em um contexto prático do dia-a-dia. Esta versão do exame geralmente é exigida para aqueles que desejam imigrar para trabalhar em empresas no Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia.

    Onde ele é aceito? Em 145 países em mais de 9 mil organizações em todo o mundo, tais como escolas e universidades de renome; agências de governo e empresas multinacionais.

    Quando e como posso fazer o IELTS? O IELTS é oferecido até quatro vezes ao mês, em mais de 140 países. Consulte os locais de aplicação do teste em www.ielts.org

    Como funciona a pontuação do IELTS? Não há uma pontuação de aprovação ou reprovação: os resultados variam de 1 a 9. Veja a escala de pontuação abaixo:

    9 – Expert * 8 – Muito Bom * 7 – Bom * 6 – Competente * 5 – Modesto * 4  - Limitado * 3 – Bem Limitado * 2 – Intermitente * 1 - Nulo

    CAE

    CAE: O Certificate in Advanced English é um dos exames mais populares do mundo para certificação do nível avançado de inglês (C1) e é voltado para pessoas que usam o inglês com fins profissionais ou acadêmicos.

    O que é CAE? CAE é a sigla para Certificate in Advanced English (Certificado Avançado em Inglês). O exame é um dos mais populares do mundo para certificar o nível avançado de Inglês (C1) e é voltado para pessoas que usam o inglês com fins profissionais ou acadêmicos. O teste exige do candidato a capacidade de compreender e interpretar textos mais longos e elaborados, bem como de participar de conversas e debates sobre temas de maior complexidade.

    Quem deve fazer o CAE e para que ele serve? O CAE é destinado para os estudantes buscam uma certificação que comprove suas habilidades avançadas na língua inglesa, seja para o mercado de trabalho ou com fins acadêmicos.

    O certificado é uma qualificação muito valiosa para qualquer pessoa que deseja estudar em outro país ou construir uma carreira que exija o uso de inglês. O CAE é reconhecido por muitas universidades como prova de que o aluno é capaz de frequentar cursos ensinados e avaliados apenas em inglês. As questões do teste são baseadas em demandas reais e indicam a habilidade do uso da língua em situações práticas. Os alunos aprovados no exame são capazes de participar de reuniões e discussões, expressar suas opiniões claramente, entender e produzir textos de diferentes gêneros, incluindo relatórios e cartas comerciais. Eles também são capazes de utilizar diferentes estilos e níveis de formalidade em inglês, conforme a situação.

    Onde ele é aceito? Quase todas as universidades do Reino Unido e uma grande quantidade de instituições nos Estados Unidos reconhecem o CAE, bem como um grande número de empresas no mundo todo. São mais de 3.000 instituições de ensino, empresas e órgãos governamentais, ao redor do mundo, que aceitam (CAE) como prova de um alto nível de desempenho.

    Como funciona a pontuação do CAE? O estudante realiza testes que avaliam os conhecimentos em Leitura, Escrita, Uso do Inglês e Compreensão Auditiva no mesmo dia. O teste de Expressão Oral pode ser realizado alguns dias antes ou depois do exame.

    Para atingir nota A (nível C2) é necessário fazer de 80 a 100 pontos. O candidato que alcança essa pontuação no CAE recebe um certificado que atesta um nível do CEFR (Quadro Europeu de Referência) superior ao deste exame.

    A nota B (nível C1) é equivalente a pontuações entre 75 e 79 pontos.

    A nota C (nível C1) é equivalente a pontuações entre 60 a 74 pontos.

    Ao atingir uma pontuação entre 45 e 59 o aluno é classificado como nível B2 do CEFR. O candidato que atingir esta pontuação, inferior ao da nota de aprovação, receberá um certificado atestando que o seu nível está imediatamente abaixo ao do exame prestado.

    Quando e como posso fazer o CAE? Posso repetir o exame se não tiver tido um bom desempenho?

    Para prestar o exame, o estudante deve se inscrever diretamente em um centro autorizado. Há 33 datas de realização do exame por ano, disponíveis nos 1.300 centros autorizados em 113 países no mundo todo. Todos os centros são inspecionados por Cambridge English Language Assessment e cumprem seus elevados padrões. Os estudantes internacionais podem prestar a prova quantas vezes quiserem, até atingirem a nota desejada.

    FCE

    FCE: O First Certificate in English é um dos exames mais populares do mundo para certificar o nível intermediário superior de Inglês (B2). O FCE comprova que o estudante domina o idioma falado e escrito bem o suficiente para lidar com diferentes situações cotidianas.

    O que é FCE? FCE é a sigla para First Certificate in English (Primeiro Certificado em Inglês). O exame é um dos mais populares do mundo para certificar o nível intermediário superior de Inglês (B2). O FCE comprova que o estudante domina o idioma, falado e escrito, bem o suficiente para lidar com diferentes situações cotidianas do ambiente de trabalho e também para viver em um país de língua inglesa de forma independente.

    Quem deve fazer o FCE e para que ele serve? O FCE é ideal para pessoas que precisam comprovar que podem usar a língua inglesa escrita e falada em situações reais de comunicação, em nível acima do intermediário, para propostas acadêmicas ou de trabalho.

    Onde ele é aceito? O certificado é aceito como qualificação em inglês intermediário superior por milhares das principais empresas e instituições de ensino do mundo. Entre elas estão empregadores como American Express, Agfa-Gevaert, Siemens, Procter & Gamble, além de universidades e faculdades como a University of Bath e a Universidad de Salamanca.

    Como funciona a pontuação do FCE? O exame do FCE é dividido em cinco seções que abrangem: expressão oral, compreensão oral, expressão escrita, leitura e uso do Inglês. A seção de Expressão Oral é realizada em dupla, onde a conversa entre os dois alunos é pontuada por um examinador. Já a Compreensão Oral é examinada por meio de questões sobre diversos assuntos, desde conversações, programas de rádios, apresentações e outros. A avaliação da Leitura é feita por meio de passagens curtas e longas sobre diferentes assuntos, entre textos de jornal, histórias fictícias, propagandas e outros. Para avaliar a Expressão Escrita é pedido dois diferentes tipos de composição, podendo ser uma carta, redação ou pequenas histórias. O Uso do Inglês é analisado por meio de tarefas que demonstram se a gramática e o vocabulário são bem empregados pelo candidato. A pontuação varia entre zero e 100 e é formada ao final de todas as seções. Há também letras que correspondem a uma pontuação numérica.

    Para atingir nota A (C1) é necessário fazer de 80 a 100 pontos. O candidato que alcança essa pontuação no FCE recebe um certificado que atesta um nível do CEFR (Quadro Europeu de Referência) superior ao deste exame.

    A nota B (nível B2) é equivalente a pontuações entre 75 e 79 pontos.

    A nota C (nível B2) é equivalente a pontuações entre 60 a 74 pontos.

    Ao atingir uma pontuação entre 45 e 59 o aluno é classificado como nível B1 do CEFR. O candidato que atingir esta pontuação, inferior ao da nota de aprovação, receberá um certificado atestando que o seu nível está imediatamente abaixo ao do exame prestado.

    Quando e como posso fazer o FCE? Posso repetir o exame se não tiver tido um bom desempenho?

    Para prestar o exame Cambridge English, o estudante deve se inscrever diretamente em um centro autorizado. Existem mais de 2.700 centros em 130 países no mundo. Todos os centros são inspecionados por Cambridge English Language Assessment e cumprem seus elevados padrões. Os estudantes internacionais podem prestar a prova quantas vezes quiserem, até atingirem a nota desejada.

    D.E.L.E.

    D.E.L.E.: Os Diplomas de Espanhol como Língua Estrangeira são títulos oficiais que comprovam o grau de competência e domínio do idioma, conferido pelo Ministério da Educação, Cultura e Desporto da Espanha. O Instituto Cervantes organiza as sessões de exame, enquanto a Universidad de Salamanca contribui para a realização dos exames e as avaliações.

    O que é DELE? Os Diplomas de Espanhol como Língua Estrangeira (DELE) são títulos oficiais que comprovam o grau de competência e domínio do idioma, conferido pelo Ministério da Educação, Cultura e Desporto da Espanha. O Instituto Cervantes organiza as sessões de exame, enquanto a Universidad de Salamanca contribui para realização dos exames e avaliações.

    O certificado é dividido de acordo com os níveis do Quadro Europeu Comum de Referência para Línguas. Cada nível descreve os objetivos a serem alcançados pelos estudantes. Veja os níveis em ordem crescente:

    DELE Nível A1: assegura uma competência linguística suficiente para compreender e utilizar expressões de uso cotidiano para satisfazer necessidades imediatas de conversação.

    DELE Nível A2: certifica que o candidato é capaz de compreender frases e expressões cotidianas, relacionadas com áreas de experiência que são relevantes para ele, como informações básicas sobre si, sua família, compras, lugares de interesse, ocupações, etc.

    DELE Nível B1: assegura que o candidato atingiu um nível de espanhol acima da categoria de iniciante. Este diploma garante a competência linguística para compreender os principais aspectos de textos orais e escritos, sobre assuntos conhecidos (trabalho, estudo ou cotidiano). Produzir textos simples e coerentes sobre temas conhecidos ou de interesse pessoal, como a descrição de experiências, acontecimentos, planos e ambições ou a expressão de opiniões.

    DELE Nível B2: garante que o candidato atingiu um nível avançado e é capaz de se expressar e interagir com desenvoltura, tanto ao falar quanto ao escrever. O diploma certifica a capacidade de conversação com falantes nativos com grande fluência e naturalidade, produzir textos claros e detalhados sobre diversos temas, assim como defender pontos de vista sobre temas gerais e entender as ideias principais de textos complexos que tratem de temas tanto concretos como abstratos.

    DELE Nível C1: garante que estudante atingiu um nível mais que avançado de espanhol. Este diploma certifica a competência linguística suficiente para compreender uma ampla variedade de textos extensos e com nível de exigência, assim como reconhecer, nos mesmos, sentidos implícitos. Além disso, o aluno é capaz de se expressar de forma fluída e espontânea, sem esforço para achar a expressão adequada. Consegue fazer um uso flexível e efetivo do idioma para fins sociais, acadêmicos e profissionais, podendo produzir textos claros, bem estruturados e detalhados sobre temas complexos. Este nível é o exigido pelas universidades ao aceitar alunos estrangeiros.

    DELE Nível C2: certifica a competência linguística necessária para se expressar em qualquer situação, mostrando uma capacidade espontânea de adaptação a qualquer contexto, com um grau de precisão elevado.

    Quem deve fazer o DELE e para que ele serve? O DELE comprova o nível de domínio sobre a língua espanhola de falantes não nativos. Ele avalia as capacidades fundamentais que uma pessoa precisa ter para falar o idioma de forma fluente, como a leitura, escrita, compreensão auditiva e a fluência verbal, por isso, ele é ideal para candidatos que buscam vagas de emprego em uma cidade onde o idioma oficial é o espanhol. Além disso, funciona como uma certificação complementar para programas de ensino de língua estrangeira em muitas instituições. Os certificados DELE são perfeitos para facilitar a promoção ao trabalho e o acesso à educação, tanto na Espanha como em muitos outros países hispânicos.

    Onde ele é aceito? Os diplomas DELE são os únicos certificados de proficiência em espanhol para não-hispânicos reconhecidos em todo o mundo por empresas privadas, câmaras de comércio e sistemas educacionais. Suas ferramentas avaliativas são consideradas altamente confiáveis e imparciais, comprovando a qualificação de profissionais no mercado de trabalho e a competência linguística de estudantes que pretendem candidatar-se a bolsas de estudos e especialização na Espanha e outros países hispano-americanos.

    Diversas das empresas espanholas mais importantes, como a Telefónica, Endesa, Repsol, YPF, Grupo Santander, Fundação MAPFRE, Prosegur e Grupo Calvo, reconhecem os DELEs como certificado de proficiência nos processos seletivos para os aspirantes cuja primeira língua não seja o espanhol. Além disso, as principais instituições de ensino superior, agências de cooperação internacional e fundações solicitam aos candidatos a concursos, bolsas de estudo e convocatórias de ajuda que apresentem o certificado DELE quando não for falante nativo do espanhol.

    Já no Brasil, o DELE de nível intermediário é requisito para o acesso de bolsas de estudo pelo Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) do Ministério de Educação, destinada para pessoas interessadas em fazer mestrado ou doutorado em países de língua hispânica, e é bastante requisitado por grandes empresas que preparam funcionários que serão enviados para países de língua espanhola, como a Petrobras.

    Como funciona a pontuação do DELE? O aluno precisa atingir uma nota específica, de acordo com seu nível de idioma. No C1, por exemplo, a prova é pontuada de 0 a 100 e o aluno deve tirar no mínimo 33 pontos em cada seção para conseguir a aprovação. Este exame é composto por quatro provas divididas em dois grupos, sendo o primeiro com a prova 1 e 3, e o segundo grupo com as provas 2 e 4.

    Prova 1: Compreensão de leitura e uso da língua (90 minutos).

    Prova 2: Compreensão auditiva e uso da língua (50 minutos).

    Prova 3: Compreensão auditiva e expressão e interação escritas (80 minutos).

    Prova 4: Compreensão de leitura e expressão e interação orais (20 minutos).

    É importante ter uma boa nota em todas as habilidades do idioma testadas, tanto na parte escrita quanto na oral e auditiva. Vale ressaltar que o aluno perde pontos ao cometer erros de pontuação, ortografia, pronúncia e emprego de termos. Apesar disso, o resultado final não é numérico apenas, o aluno recebe uma resposta de aprovado ou reprovado.

    Quando e como posso fazer o DELE? Posso repetir o exame se não tiver tido um bom desempenho? Todos os anos acontecem três rodadas de provas, geralmente em maio, agosto e novembro. Existem mais de 480 centros de exames hoje em quase 100 países. No Brasil, é possível realizar provas em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre. Quando um candidato não consegue atingir a nota desejada ou exigida, ele pode voltar a fazer o exame.

    Para se candidatar a qualquer nível de DELE é preciso comprovar na hora da inscrição que a sua nacionalidade não é de um país onde o espanhol é a língua oficial. Para fazer a inscrição e conferir os demais requisitos, prazos de inscrição, normas, documentos necessários e as formas de pagamento do exame no site do DELE.

    Os diplomas DELE têm validade indefinida.

    DELF

    DELF: O Diplôme d'Etudes en Langue Française é um diploma oficial destinado aos estudantes de nível intermediário do francês para certificar suas competências no idioma. O DELF é composto por quatro diplomas independentes, que correspondem aos níveis equivalentes do Quadro Europeu Comum de Referência. Se quiser saber mais sobre o DELF, clique aqui!

    O que é DELF: O DELF, sigla para Diplôme d'Études en Langue Française (Diploma de Estudos em Língua Francesa), é um diploma oficial expedido pelo ministério francês da Educação nacional, destinado aos estudantes de nível intermediário de francês, para certificar suas competências no idioma. O DELF é composto por quatro diplomas independentes, que correspondem aos níveis equivalentes do Quadro Europeu Comum de Referência. Entenda cada nível:

    DELF A1: O estudante deve saber manter interações simples, podendo falar de si e do ambiente ao seu redor.

    DELF A2: O aluno é considerado com um ator social. Ele deve ser capaz de realizar tarefas simples do cotidiano.

    DELF B1: Neste ponto, considera-se o usuário independente. O candidato deve ser capaz de interagir, discutir e dar a sua, lidando com situações imprevistas do cotidiano.

    DELF B2: O candidato já deve ser independente o bastante para defender sua opinião através de argumentos, desenvolver seu ponto de vista e negociar. É preciso ter um domínio da língua que lhe permita corrigir seus próprios erros.

    Quem deve fazer o DELF e para que ele serve? O teste é recomendado para todos os interessados em comprovar seu nível intermediário do idioma, independente do seu objetivo. O certificado serve exatamente para provar que o estudante atingiu um nível em língua francesa suficiente para conversar, escrever e ler em um ambiente formal, profissional ou de estudo. Ou seja, é relevante para ingressar em colégios ou universidades que falam francês, fazer intercâmbio, candidatar-se a bolsas de estudo, concorrer a vagas em empresas internacionais que utilizam o idioma no dia-a-dia, migrar para um país francófono ou incrementar o currículo. Para fazer uma pós-graduação ou um doutorado na França, por exemplo, é exigido no mínimo o DELF B2.

    Onde ele é aceito? O teste é reconhecido internacionalmente por empregadores e instituições de educação, uma vez que certifica habilidades essenciais de francês requeridas pelo mercado de trabalho.

    Como funciona a pontuação do DELF? O exame avalia as quatro competências do idioma: compreensão e expressão orais, compreensão e expressão escritas. Cada seção é pontuada de 0 a 25 e o aluno deve tirar no mínimo 5 pontos em cada seção para conseguir ser aprovado. Para cada nível o aluno precisa atingir 50 de 100 pontos possíveis. Cada nível tem suas próprias dificuldades e as provas são muito diferentes de acordo cada um deles.

    Quando e como posso fazer o DELF? Posso repetir o exame se não tiver tido um bom desempenho? O exame está presente em 154 países e abrange mais de 900 centros no mundo. No Brasil, ele é está disponível em 40 associações e 67 unidades, em praticamente dos os Estados Brasileiros. A inscrição é feita de forma presencial em uma Unidade da Aliança Francesa, onde é preciso preencher o formulário de inscrição e pagar da taxa de inscrição, além de assinar o contrato e o requerimento correspondentes. O candidato pode escolher o diploma que corresponde ao seu nível de conhecimento no idioma fazendo uma auto-avaliação a partir do conteúdo, programa e modelos de provas disponíveis no site oficial www.ciep.fr.

    Cada exame dá direito a um diploma, que possui validade permanente. Por este motivo não é possível refazer um mesmo nível só para melhorar as notas.

    DALF

    DALF: O Diplôme Approfondi de Langue Française é um exame oficial que avalia o grau de fluência em francês e é composto por dois diplomas independentes, que correspondem aos níveis equivalentes do Quadro Europeu Comum de Referência.

    O que é DALF? O DALF, sigla para Diplôme Approfondi de Langue Française (Diploma Aprofundado de Língua Francesa), é um exame oficial que avalia o grau de fluência em francês, emitido e reconhecido pelo Centre International d’Études Pédagogiques (CIEP), órgão ligado ao Ministério da Educação e das Relações Exteriores, da França. O DALF é composto por dois diplomas independentes, que correspondem aos níveis equivalentes do Quadro Europeu Comum de Referência. Entenda cada nível:

    DALF C1: Nesta etapa, o usuário adquiriu autonomia. É capaz de estabelecer uma comunicação fácil e espontânea. Possui um vasto repertório lexical e escolhe expressões adequadas para introduzir seus comentários. Produz um discurso claro, bem construído e sem hesitações, dominando bem as estruturas da língua.

    DALF C2:  O domínio da língua traduz-se no grau de precisão, adequação e facilidade de expressão. O candidato de C2 é capaz de realizar diferentes tarefas acadêmicas ou de nível avançado.

    Quem deve fazer o DALF e para que ele serve? O teste é recomendado para todos interessados em valorizar e comprovar seu nível de idioma, para fins pessoais ou profissionais. Não há restrições quanto à idade, formação acadêmica ou nacionalidade dos candidatos (exceto a francesa).

    O certificado serve exatamente para provar que o estudante atingiu um nível superior de capacidades em língua francesa suficientes para conversar, escrever e ler em um ambiente formal, profissional ou de estudo. Ou seja, é relevante para ingressar em colégios ou universidades que falam francês, fazer intercâmbio, candidatar-se a bolsas de estudo, concorrer a vagas em empresas internacionais que utilizam o idioma no dia-a-dia, migrar para um país francófono, incrementar o currículo ou qualquer outro objetivo pessoal.

    Como funciona a pontuação do DALF? O exame é composto de duas categorias de provas: Provas escritas, onde serão avaliadas a compreensão oral, a compreensão escrita e a produção escrita. Provas orais onde são avaliadas a produção e interação orais. Para cada nível o aluno precisa atingir 50 de 100 pontos possíveis. A prova é composta por quatro etapas (compreensão oral, compreensão escrita, produção escrita) pontuadas de 0 a 25 e o aluno deve tirar no mínimo cinco pontos em cada seção para conseguir ser aprovado.

    Quando e como posso fazer o DALF? Posso repetir o exame se não tiver tido um bom desempenho? O exame está presente em 154 países e abrange mais de 900 centros no mundo. No Brasil, ele é está disponível em 40 associações e 67 unidades, em praticamente dos os Estados Brasileiros. A inscrição é feita de forma presencial em uma Unidade da Aliança Francesa, onde é preciso preencher o formulário de inscrição e pagar da taxa de inscrição, além de assinar o contrato e o requerimento correspondentes. O candidato pode escolher o diploma que corresponde ao seu nível de conhecimento no idioma fazendo uma auto-avaliação a partir do conteúdo, programa e modelos de provas disponíveis no site oficial www.ciep.fr.

    Cada exame dá direito a um diploma, que possui validade permanente. Por este motivo não é possível refazer um mesmo nível só para melhorar as notas.

    TESTDAF

    TESTDAF: O Test Deutsch als Fremdsprache é um teste de proficiência no idioma alemão para não-nativos. Ele avalia os conhecimentos em leitura, audição, escrita e fala. Na escala de seis níveis de competência do Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas, ele engloba os níveis B2 a C1.

    O que é DAF? O TestDaF é um teste padronizado de proficiência em idioma alemão para não-nativos. Na escala de seis níveis de competência do Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas, ele engloba os níveis B2 a C1. O teste avalia os conhecimentos em Lesen (habilidade da leitura), Hören (habilidade da escuta), Schreiben (habilidade da escrita) e Sprechen (habilidade da fala).  As tarefas do TestDaF foram desenvolvidas pelo TestDaF-Institut, que é uma instituição gerida pela Sociedade Acadêmica Preparação Estudo e Desenvolvimento de Testes (Gesellschaft für Akademische Studienvorbereitung und Testentwicklung eV) da Alemanha.

    Quem deve fazer o DAF e para que ele serve? O TestDaF, formalmente Test Deutsch als Fremdsprache (Teste de alemão como língua estrangeira), destina-se a pessoas que desejam cursar uma universidade na Alemanha e precisam fazer uma prova de proficiência no idioma alemão. Ele serve como um certificado de proficiência em língua alemã, atestando habilidades avançadas em fala, escrita, compreensão e leitura do idioma. Ao ser aprovado no TestDaF, o estudante comprova que pode extrair importantes informações individuais de textos curtos, consegue compreender os detalhes e conteúdos globais de textos diversos, sabe extrair informações detalhadas de situações cotidianas, consegue acompanhar entrevistas ou discussões relacionadas a temas de estudo ou assuntos científicos em geral, consegue entender palestras sobre temas científicos, sabe redigir um texto próprio claro, bem estruturado, e apresentar argumentos, sabe descrever, resumir e comparar dados entre si, consegue manifestar sua opinião de modo fundamentado em discussões e conversas, avaliar alternativas e formar hipóteses. Ou seja, todas as habilidades necessárias para cursar de graduação superior ministrada exclusivamente em Alemão. Caso a pessoa não pense em estudar numa faculdade, o TestDaF também serve como comprovante internacionalmente reconhecido de proficiência avançada em alemão.

    Onde ele é aceito? O TestDaf é reconhecido por empregadores e todas as Instituições de ensino como prova das habilidades essenciais de alemão requeridas pelo mercado de trabalho e universidades alemãs.

    Como funciona a pontuação do DAF? O teste consiste em quatro partes. Cada parte é classificada separadamente e as notas de cada seção da prova são mostradas no certificado. A nota máxima é cinco.

    Algumas universidades exigem que os candidatos obtenham uma determinada nota em todas as partes do exame, mas outras contam apenas na nota total. Por isso, resultado do TestDaf não é classificado simplesmente como "aprovado" ou "reprovado”.

    O teste também separa os examinados em diferentes níveis do idioma (TestDaF nível três, quatro e cinco), que correspondem aos níveis B2 ao C1 do Quadro Europeu de Referência. Se o candidato não atingir o nível mais baixo, "unter TDN 3" (inferior a TestDaf Nível três) é impresso no certificado.

    A prova é dividida nas seguintes seções:

    Leseverstehen: São apresentados três textos para interpretação, que variam entre fáceis a difíceis. O participante deve mostrar que pode ler textos com uma referência temática e linguística na área da faculdade que deseja estudar. O estudante tem 60 minutos para completar essa parte da prova.

    Hörverstehen: O estudante escuta três exercícios com níveis de dificuldades diferentes. Dura aproximadamente 30 minutos e os estudantes têm um tempo de 10 minutos para passar as respostas a limpo no gabarito.

    Mündliche Ausdruck: São sete exercícios de fala realizados no computador, onde os participantes devem mostrar que sabem atuar linguisticamente em diferentes ocasiões. São apresentadas situações da vida universitária e os alunos precisam saber expressar-se espontaneamente no contexto.

    Schriftliche Ausdruck: Nesta parte do exame, os participantes devem mostrar que eles podem escrever um texto claro, estruturado e coerente sobre um determinado assunto. Na primeira seção é necessário descrever os dados do texto ou realizar um gráfico estatístico. A segunda parte exige a opinião do estudante acerca da discussão.

    O aluno tem 60 minutos para desempenhar essa tarefa.

    O resultado é entregue depois de aproximadamente seis semanas da data da prova.

    Quando e como posso fazer o DALF? Posso repetir o exame se não tiver tido um bom desempenho? O teste pode ser realizado em 95 países diferentes em todo o mundo e possui seis datas de realização por ano, nos meses de fevereiro, abril, junho, julho, setembro e novembro. A inscrição para a prova é feita diretamente no site do TestDaF-Institut. Quando um candidato não consegue atingir a nota desejada ou exigida, ele pode voltar a fazer o exame.

    GMAT

    GMAT: O Graduate Management Test é um exame na língua inglesa comumente utilizado pelas universidades na análise de candidatos aos programas de mestrado e doutorado, especificamente na área de negócios. A grande maioria das universidades, independentemente do país em que se localiza, utiliza esse exame na análise de candidatos.

    O que é o GMAT? O GMAT é um exame comumente utilizado pelas universidades na análise de candidatos aos programas de mestrado e doutorado na área de negócios. A grande maioria das universidades, independentemente do país em que se localiza, utiliza esse exame na análise de candidatos.

    Objetivo? O GMAT tem como objetivo avaliar a escrita analítica e o raciocínio integrado, quantitativo e verbal dos estudantes que se candidatam a programas de mestrado e doutorado da área de negócios.

    Para quem é o GMAT? O GMAT é destinado a estudantes interessados em ingressar em programas de mestrado e doutorado na área de negócios.

    Como é o GMAT na prática? O GMAT é composto por quatro seções: Escrita Analítica (Analytical Writing Assessment Section), Raciocínio Integrado (Integrated Reasoning Section), Seção Quantitativa (Quantitative Section) e Seção Verbal (Verbal Section). Todas as seções são relacionadas às competências adquiridas durante a graduação e aplicadas à área de negócios.

    A pontuação do GMAT segue o seguinte critério: para a Escrita Analítica (Analytical Writing Assessment Section), a pontuação vai de 0 a 6 pontos. Para o Raciocínio Integrado (Integrated Reasoning Section), a pontuação vai de 1 a 8 pontos. As seções Quantitativo e Verbal (Quantitative Section e Verbal Section) são avaliadas em conjunto e sua pontuação vai de 200 a 800 pontos.

    O GMAT tem duração de 3 horas e meia.

    Quando e onde acontece? No Brasil, o exame é realizado em centros autorizados, localizados nas grandes capitais brasileiras - São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte, Fortaleza, Recife e Brasília, e ocorre durante todo o ano.

    Quantas vezes é possível realizar o GMAT? O estudante pode realizar 5 testes em um período de 12 meses.

    Resultado? O resultado do GMAT está disponível após 20 dias da realização do exame. Um e-mail informativo é enviado ao estudante com instruções de acesso ao resultado online.

    GRE

    GRE: O Graduate Record Examination é um exame na língua inglesa comumente utilizado pelas universidades na análise de candidatos aos programas de mestrado e doutorado de diferentes áreas. Seu objetivo é avaliar a escrita analítica, o raciocínio verbal e o raciocínio quantitativo dos estudantes.

    O que é? O GRE é um exame comumente utilizado pelas universidades na análise de candidatos aos programas de mestrado e doutorado.

    A grande maioria das universidades, independentemente do país em que se localiza, utiliza esse exame na análise de candidatos.

    Objetivo? O GRE tem como objetivo avaliar a escrita analítica, o raciocínio verbal e o raciocínio quantitativo dos estudantes que se candidatam a programas de mestrado e doutorado.

    Para quem? O GRE é destinando a estudantes interessados em ingressar em programas de mestrado e doutorado.

    Como é na prática? O GRE é composto por três seções: Escrita Analítica (Analytical Writing), Raciocínio Verbal (Verbal Reasoning) e Raciocínio Quantitativo (Quantitative Reasoning). Todas as seções são relacionadas às competências adquiridas durante a graduação.

    A pontuação do GRE segue o seguinte critério: para cada uma das seções do exame, o estudante recebe pontuações. A Escrita Analítica (Analytical Writing) pontua de 0 a 6 pontos e os componentes verbal e quantitativo (Verbal Reasoning e Quantitative Reasoning) pontuam em uma escala de 130 a 170.

    A duração do exame é de 3 horas e 45 minutos.

    Quando e onde acontece? No Brasil, o exame é realizado em centros autorizados, localizados em várias capitais brasileiras e cidades próximas e ocorre pelo menos uma vez ao mês.

    Quantas vezes é possível realizar o GRE? Não há limites para a realização do exame, porém um novo exame somente pode ser realizado após 21 dias da data do anterior.

    Resultado? O resultado do GRE está disponível online 15 dias após a realização do exame. Um e-mail informativo é enviado ao estudante com instruções de acesso ao resultado.

    SAT

    SAT: O Scholastic Aptitude Test é uma prova de raciocínio, utilizada por algumas universidades americanas como um dos critérios no processo de admissão de estudantes de graduação. O SAT avalia competências adquiridas pelo aluno durante o ensino médio, nas áreas de Inglês (leitura e escrita) e Matemática.

    O que é o SAT? O SAT é uma prova de raciocínio, utilizada por várias universidades americanas como um dos critérios no processo de admissão de estudantes de graduação (undergraduate students).

    Nem todas as universidades americanas utilizam o SAT como critério de análise de candidatos, mas, assim como o ACT - American College Testing, é um exame muito reconhecido pelo sistema de ensino nos Estados Unidos.

    Geralmente, as universidades que utilizam o exame de raciocínio na análise de seus candidatos, não elegem qual teste querem avaliar, aceitando tanto o SAT quanto o ACT. Cabe ao estudante identificar o de sua preferência e indicá-lo à universidade para a qual está se candidatando.

    Objetivo? O SAT tem como objetivo avaliar os conhecimentos adquiridos pelo estudante durante o Ensino Médio.

    Para quem é o SAT? O SAT é aplicável a estudantes – americanos e internacionais - que se candidatam a um curso de graduação em universidades americanas.

    Como é o SAT na prática? O SAT é dividido em três seções: Interpretação de Texto (Critical Reading), Matemática (Math) e Redação (Writing) . Cada seção vale 800 pontos, totalizando 2400 pontos. No entanto, muitas faculdades consideram apenas as seções de Interpretação de Texto (Critical Reading) e Matemática (Math), somando 1600 pontos, e usam a Redação (Writing) como um critério de desempate entre os candidatos. Mesmo assim, a Redação (Writing) é obrigatória para todos.

    A prova passa a ter duas seções com pontuação entre 200-800 pontos, além de uma redação optativa, que possui uma nota separada e não entra para o cálculo da nota do “Novo SAT”. A seção de Interpretação de Texto (Critical Reading) passa a englobar a seção de Redação (Writing) e será chamada “Evidence-Based Reading and Writing”, enquanto a parte de Matemática (Math) permanece com a mesma denominação.

    Quando e onde acontece? No Brasil, o SAT é oferecido 6 vezes ao ano nos meses de Janeiro, Maio, Junho, Outubro, Novembro e Dezembro. Nos EUA, a prova também é oferecida no mês de Março, totalizando 7 provas ao ano.

    Existem 20 centros brasileiros autorizados a aplicar a prova, localizados em Belo Horizonte, Belém, Brasília, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Joinville, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Vinhedo. É importante ressaltar que nem todos os centros oferecem as provas 6 vezes ao ano e, por isso, o estudante deve estar atento se o centro da cidade escolhida oferece o exame na data desejada.

    A prova geralmente é realizada no primeiro sábado de cada mês, exceto no mês de Janeiro, quando o exame costuma ser aplicado no penúltimo sábado por ser período de férias. Estudantes brasileiros têm a opção de realizar a prova no exterior, bastando indicar, no ato da inscrição, a cidade e o centro no qual a prova será realizada. A inscrição de cada exame geralmente é encerrada um mês antes da realização do mesmo. O estudante deve ficar atento às vagas limitadas de cada centro aplicador do SAT.

    Quantas vezes é possível realizar o SAT? O estudante pode realizar o SAT quantas vezes desejar durante o Ensino Médio. A grande vantagem é o sistema chamado “Super Score”, que permite que o estudante utilize a sua melhor nota de cada seção para o cômputo geral de sua pontuação.

    Resultado? O resultado pode ser conferido online aproximadamente 5 semanas após a realização do teste.  O acesso deve ser feito com login e senha do estudante utilizado no ato da inscrição. Um e-mail com o resultado é também enviado ao estudante.

    ACT

    ACT: O American College Testing também é uma prova de raciocínio, utilizada por várias universidades americanas como um dos critérios no processo de admissão de estudantes de graduação. O ACT avalia competências adquiridas pelo aluno durante o ensino médio, nas áreas de Inglês (leitura e escrita), Matemática e Ciências.

    O que é o ACT? O ACT é uma prova de raciocínio, utilizada por várias universidades americanas como um dos critérios no processo de admissão de estudantes de graduação (undergraduate students).

    Nem todas as universidades americanas utilizam o ACT como critério de análise de candidatos, mas, assim como o SAT – Scholastic Assessement Test, é um exame muito reconhecido pelo sistema de ensino nos Estados Unidos.

    Geralmente, as universidades que utilizam o exame de raciocínio na análise de seus candidatos, não elegem qual teste querem avaliar, aceitando tanto o SAT quanto o ACT. Cabe ao estudante identificar o de sua preferência e indica-lo à universidade para a qual está se candidatando.

    Objetivo? O ACT tem como objetivo avaliar os conhecimentos adquiridos pelo estudante durante o Ensino Médio.

    Para quem é o ACT? O ACT é aplicável a estudantes – americanos e internacionais - que se candidatam a um curso de graduação em universidades americanas.

    Como é o ACT na prática? O ACT é dividido em cinco seções: Inglês (English), Matemática (Mathematics), Ciências (Science Reasoning), Leitura (Reading) e Redação (Writing). A pontuação varia de 1 a 36, para as quatro primeiras seções, e de 2 a 12 pontos para a Redação. A Redação (Writing) é opcional.

    Quando e onde acontece? No Brasil, o ACT é oferecido 5 vezes ao ano, nos meses de Abril, Junho, Setembro, Outubro e Dezembro. Existem 12 centros brasileiros autorizados a aplicar a prova, localizados em Belém, Brasília, Campinas, Curitiba, Goiânia, Londrina, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

    Estudantes brasileiros têm a opção de realizar a prova no exterior, bastando indicar, no ato da inscrição, a cidade e o centro no qual a prova será realizada. A inscrição de cada exame geralmente é encerrada um mês antes da realização do mesmo. O estudante deve ficar atento às vagas limitadas de cada centro aplicador do ACT.

    Quantas vezes é possível realizar o ACT? O estudante pode realizar o ACT quantas vezes desejar durante o Ensino Médio. O estudante utiliza a melhor nota obtida nos testes realizados. Porém diferente do SAT não existe a opção de combinar os melhores resultados. O aluno pode utilizar os resultados que conseguiu por teste realizado.

    Resultado? O resultado pode ser conferido online aproximadamente 8 semanas após a realização do teste. O acesso deve ser feito com login e senha do estudante utilizado no ato da inscrição. Um e-mail com o resultado é também enviado ao estudante.

  •  Idioma Profissões

    Cursos de idiomas para profissões

    Os cursos de idioma com foco em profissões são programas de intercâmbio desenhados para profissionais que desejam desenvolver o idioma na sua área de atuação.

    Quais são as áreas? Atualmente oferecemos cursos para as seguintes áreas: idiomas para negócios, aviação, direito, engenharia, medicina e saúde, finanças, turismo e hospitalidade e cursos para professores de idiomas. É necessário ter conhecimento prévio da língua que se pretende estudar.

    Como funcionam os cursos de idioma com foco em profissões? Os cursos de idioma com foco em profissões são desenhados para profissionais que desejem desenvolver o idioma na sua área de atuação, aprimorando seus conhecimentos sobre o vocabulário específico do ambiente em que trabalha ou que pretende trabalhar.

    Quais são as profissões contempladas nesses cursos? Os cursos contemplam as áreas de aviação, direito, engenharia, ensino, saúde e negócios.

    Em quais países esses cursos acontecem? É possível encontrar os cursos com foco em profissões em diversos países como Estados Unidos, Inglaterra, Irlanda, Alemanha, África do Sul, Canadá, Nova Zelândia e Espanha.

    Qual a duração desses cursos? A duração é bastante variada, podendo ser a partir de uma a 12 semanas.

    Aonde vou me hospedar? Há diversos tipos de acomodação, que variam de acordo com a cidade e a escola em que se vai estudar. Elas podem ser casas de família (homestay), campus universitário, residência estudantil, apartamentos, flats e hotéis, assim o estudante pode escolher a opção que melhor se encaixa em suas expectativas.

    Idiomas com Foco em Profissões: Artes, Aviação, Cinema, Criatividade, Design, Direito, Empreendedorismo e Inovação, Engenharia, Executivo, Finanças, Medicina e Saúde, Negócios e Liderança, Teacher Training, Turismo e Hospitalidade.

    Idiomas: Alemão, Espanhol, Francês, Inglês e Italiano.

    Países: África do Sul, Alemanha, Argentina, Austrália, Canadá, Escócia, Espanha, Estados Unidos, França, Inglaterra, Irlanda, Itália, Malta e Nova Zelândia.

  •  Estudo e Trabalho

    Estudo com trabalho no exterior

    Estudo e Trabalho: Austrália, Canadá, Estados Unidos, Irlanda, Nova Zelândia e Malta.

    O programa de Estudo e Trabalho no exterior é dirigido a estudantes que têm interesse em adquirir experiência profissional internacional e aperfeiçoar o inglês também fora da sala de aula. Os trabalhos podem ou não ser remunerados e a carga horária permitida varia conforme o país de interesse.

    Oferecemos programas de estudo e trabalho em áreas específicas. Neles, o estudante fará um estágio (geralmente, não remunerado) na sua área de interesse. Vale lembrar que esses estágios não são em posições estratégicas das empresas e servem apenas para complementar o programa de estudo no exterior. Nesse caso, o estudante trabalhará em áreas operacionais de hotéis, restaurantes, bares e eventos, e sua posição poderá variar conforme seu nível de idioma.

    Este programa é oferecido durante todo o ano, mas é importante saber que alguns países têm carga horária de trabalho diferenciada conforme a temporada.

     

    Estude e trabalhe nos Estados Unidos

    Visto: F1 (estudante)

    Regra para estudar e trabalhar nos EUA: Este é um programa de estágio não remunerado que acontece após o curso de inglês nos Estados Unidos. Para poder estagiar, o aluno precisará ter visto de estudante e ter concluído com sucesso um dos cursos que são oferecidos em parceria com escolas de idioma nos Estados Unidos. Além disso, é preciso ter cursado, pelo menos, quatro semanas de aula. Esse estágio deve acontecer durante o “grace period”, período de 60 dias nos quais o estudante pode permanecer nos EUA após o término do curso.

    Remuneração: O programa de estágio nos Estados Unidos não é remunerado.

    Duração/Período de trabalho: Até 20 horas por semana.

    Tipo de trabalho: Estágio na área de interesse do estudante. A vaga será oferecida em posições de trabalho que não são estratégicas, servindo como complemento ao conhecimento do aluno.

    Benefícios: Enriquecimento profissional, oportunidade de viver em um país com um dos melhores índices de qualidade de vida do mundo e fazer cursos reconhecidos internacionalmente.

     

    Estude e trabalhe no Canadá

    Visto: Estudante com permissão para trabalho

    Regra para estudar e trabalhar no Canadá: Para estudantes que farão um curso vocacional com duração a partir de 24 semanas, o visto com oportunidade de trabalhar é garantida. Oferecemos programas que combinam 12 semanas de curso com 12 semanas de estágio não remunerado ou remunerado, dependendo da área de estudo. Durante o período do curso vocacional, o estudante pode trabalhar 20 horas por semana e, durante o estágio, feito na segunda metade do programa, ele poderá trabalhar até 40 horas semanais. Para terminar o curso, as escolas oferecem duas semanas de feedback, e os estudantes deverão fazer trabalhos que aliem o curso à experiência profissional.

    Remuneração: O salário mínimo por hora no Canadá varia de CAD 10.45 a CAD 11.25, dependendo do estado. Os estágios podem ser remunerados ou não, dependendo da área de estudo. Em British Columbia, província que está localizada na cidade de Vancouver, o estágio ou trabalho é obrigatoriamente remunerado.

    Duração/Período de trabalho: Os cursos vocacionais oferecidos vão de 26 semanas a dois anos, com possibilidade de extensão do visto para até três anos nas instituições públicas do Canadá.

    Tipo de trabalho: Os primeiros empregos no Canadá são, normalmente, na área de serviços, e podem variar conforme o nível de inglês do estudante. Os estudantes terão a sua primeira oportunidade de trabalho em áreas de atendimento em restaurantes, cafés, bares e hotéis. Para aqueles que estejam fazendo um programa de diploma, certificado ou pós-graduação, o trabalho não é recomendado, embora seja autorizado, pois o ideal é que o aluno se concentre em sua formação. Após o curso, o estudante terá oportunidade de buscar um trabalho na área em que recebeu a certificação, dependendo da sua qualificação.

    Benefícios: Enriquecimento profissional, oportunidade de viver em um país com um dos melhores índices de qualidade de vida do mundo e fazer cursos reconhecidos internacionalmente, possibilidade de extensão do visto, além da oportunidade de fazer um curso vocacional com trabalho.

     

    Estude e trabalhe na Austrália

    Visto: Estudante

    Regra para estudar e trabalhar na Austrália:  O país permite que o estudante trabalhe por 20 horas semanais durante o período de aulas e por 40 horas semanais durante as férias. A cada 12 semanas de estudo, o aluno pode usufruir até quatro semanas de férias, que podem ser usadas para viajar ou trabalhar. Com duração mínima de 13 semanas e carga horária a partir de 20 lições por semana, o programa é ideal para estudantes que farão cursos de inglês ou profissionalizante e para aqueles que já têm nível de idioma e buscam uma nova colocação ou aperfeiçoamento profissional.

    Remuneração: O salário mínimo por hora na Austrália é de AUD 13,20, mas a remuneração dos estágios pode variar conforme a atividade profissional exercida. Em alguns casos, o estágio pode não ser remunerado, dependendo da área de estudo e do nível de inglês do estudante.

    Duração/Período de trabalho: A partir de 13 semanas de curso de idioma ou profissionalizante, o estudante poderá trabalhar 20 horas por semana durante o período do curso e 40 horas por semana durante as férias - que somente é concedida àqueles que têm curso superior a 12 semanas.

    Tipo de trabalho: Os primeiros empregos na Austrália são, normalmente, na área de serviços, e podem variar conforme o nível de inglês do estudante. Os alunos terão a sua primeira oportunidade de trabalho em áreas de atendimento em restaurantes, cafés, bares e hotéis. Para os que estão fazendo programas de certificados, diplomas, graduação e pós-graduação, o trabalho poderá ser na área de estudo, porém não é garantida a remuneração.

    Benefícios: Enriquecimento profissional, oportunidade de viver em um país com um dos melhores índices de qualidade de vida do mundo e de fazer cursos reconhecidos internacionalmente, possibilidade de extensão do visto, além de unir um curso de idioma com trabalho.

     

    Estude e trabalhe na Irlanda

    Visto: Não há necessidade, o visto pode ser solicitado ao chegar ao país. Para a obtenção da permissão de trabalho, é necessário apresentar toda a documentação exigida.

    Regra para estudar e trabalhar na Irlanda: Os estudantes têm a permissão para trabalhar quando inscritos em um curso de idiomas de, no mínimo, 15 horas semanais, com duração de, pelo menos, 25 semanas e em escolas registradas pelo governo irlandês. É possível trabalhar legalmente por até 40 horas semanais nos períodos de férias do país, já determinados pelo governo irlandês (junho a setembro e 15 de dezembro a 15 de janeiro), e 20 horas semanais durante o restante do ano. O curso Ano Acadêmico, com duração de 25 semanas, por exemplo, concede ao estudante mais dois meses de férias além do período de estudos, totalizando oito meses de visto. O estudante deve escolher o período de férias escolares que deseja antes do embarque, desde que considere que deve estudar no mínimo 12 semanas antes de poder usufruir das férias.  Essa regra deve ser seguida, pois nos documentos enviados à imigração constam as datas de início e término do curso e das férias especificadas. Todos os estudantes matriculados por 25 semanas ou mais devem fazer um exame oficial obrigatório ao final do curso e garantir que haja o mínimo de 85% de presença nas aulas. A frequência será registrada e o histórico de presença é encaminhado à imigração.

    Remuneração: O salário mínimo por hora na Irlanda é de EUR 9,25, mas as remunerações dos estágios e trabalho podem variar conforme a atividade profissional exercida. Em alguns casos, o estágio pode não ser remunerado, dependendo da área de estudo e do nível de inglês do estudante.

    Duração/Período de trabalho: O programa tem duração de 25 semanas de estudo e mais dois meses de férias, que podem ser utilizadas também para o trabalho. Os estudantes podem trabalhar por 20 horas semanais em períodos considerados como baixa temporada. Durante o verão irlandês (junho a setembro) e no final do ano (15 de dezembro a 15 de janeiro), é possível trabalhar até 40 horas por semana.

    Tipo de trabalho: Os primeiros empregos na Irlanda são, normalmente, na área de serviços, podendo variar conforme o nível de inglês do aluno. Ou seja, os estudantes terão a sua primeira oportunidade de trabalho em áreas de atendimento em restaurantes, cafés, bares e hotéis. Em alguns casos, o estágio pode não ser remunerado, dependendo da área de estudo e do nível de inglês do aluno.

    Benefícios: Ganho profissional, morar em um dos países com melhor índice de qualidade de vida, fazer cursos reconhecidos internacionalmente, possibilidade de trabalho integral em alta temporada, oportunidade de fazer um curso de idioma com trabalho.

    Estude e trabalhe na Nova Zelândia

    Visto: Estudante. 

    Regra para estudar e trabalhar na Nova Zelândia: Tem direito a trabalhar no país o aluno matriculado em um programa de estudo a partir de 14 semanas, ou em uma escola chancelada pela NZQA (New Zealand Qualificatons Authority) como de categoria 1, desde que o curso tenha, pelo menos, 20 horas de lições por semana.

    Remuneração: O salário mínimo por hora na Nova Zelândia é de NZD 10,92, mas as remunerações dos estágios e trabalhos podem variar conforme a atividade profissional exercida. Em alguns casos, o estágio pode não ser remunerado, dependendo da área de estudo e do nível de inglês do estudante.

    Duração/Período de trabalho: A partir de 14 semanas de aulas de idioma ou profissionalizante, o estudante poderá trabalhar 20 horas por semana no período do curso e 40 horas por semana em seu período de férias – concedido apenas para aqueles que fazem cursos com mais de 12 semanas de duração.

    Tipo de trabalho: Os primeiros empregos na Nova Zelândia são, normalmente, na área de serviços, e podem variar conforme o nível de inglês do aluno. Ou seja, os estudantes terão a sua primeira oportunidade de trabalho em áreas de atendimento em restaurantes, cafés, bares e hotéis. Para os que estão fazendo programas de certificados, diplomas, graduação e pós-graduação, o trabalho poderá ser na área de estudo, mas a remuneração não é garantida.

    Benefícios: Ganho profissional, morar em um país com um dos melhores índices de qualidade de vida, fazer cursos reconhecidos internacionalmente, possibilidade de extensão do visto, oportunidade de fazer um curso de idioma com trabalho.

    Estude e trabalhe em Malta

    Visto: Estudante 

    Regra para estudar e trabalhar em Malta: O país permite que estudantes internacionais trabalhem a partir da 13ª semana de curso, após terem o visto de estudante e a permissão de trabalho aprovados. Nas 12 primeiras semanas em Malta, o aluno estudará com o visto de turista.

    Remuneração: O salário mínimo por semana em Malta é de EUR 172,51, mas a remuneração pode variar conforme a atividade profissional exercida.

    Duração/Período de trabalho: Após a 13ª semana de curso de idioma, o estudante poderá trabalhar por 20 horas semanais por um período máximo de um ano. Para isso, é preciso estar matriculado em um curso de no mínimo 15h semanais.

    Tipo de trabalho: Normalmente, os primeiros empregos em Malta são na área de serviços, mas podem variar conforme o nível de inglês do aluno. Os estudantes terão a sua primeira oportunidade de trabalho em áreas de atendimento de restaurantes, cafés, bares e hotéis. O governo maltês possui um portal chamado Jobsplus que conecta empregadores e empregados, auxiliando no processo de colocação do aluno.

    Benefícios: Ganho profissional, networking, prática do idioma fora de sala de aula, aperfeiçoamento do currículo, interação com a cultura local em um ambiente de trabalho real e possibilidade de renda extra durante o intercâmbio.

  •  Programas Para Famílias

    Programas para Famílias: Cursos para pais e filhos que querem viver uma experiência de intercâmbio juntos, em diversos países.

    Já pensou em conhecer novos lugares, viver novas situações, praticar seu esporte preferido, fazer passeios divertidos e ainda melhorar o idioma em um intercâmbio que tenha a ver com o seu momento na vida, tudo isso tendo por perto as pessoas que você mais ama? Temos programas criados especialmente para pais que querem compartilhar essas experiências com seus filhos e, ao mesmo tempo, se divertir, se aperfeiçoar e incluir novos talentos no currículo.

    Os intercâmbios em família são tailor made, ou seja, criados sob medida para o estilo e as necessidades de cada família. Isso significa que antes da viagem você e as crianças terão a nossa assessoria para montar a viagem do seu jeito, e durante o período em que estiverem lá, todo o acompanhamento necessário para as suas férias perfeitas.

    E como funciona o Intercâmbio em Família? Na hora de estudar, cada um tem seu espaço. Os programas são divididos por idade, com atividades personalizadas para cada faixa etária. Você e seus filhos poderão conhecer e fazer novos amigos de outros países e culturas durante as aulas e passeios.

    Além disso, entre as aulas, depois delas ou aos finais de semana vocês poderão visitar juntos as melhores atrações culturais, históricas e esportivas do seu destino. A acomodação pode ser em casa de família, residência estudantil, um imóvel alugado ou em hotel. Assim vocês poderão se reunir no final do dia e compartilhar as novidades!

    Exemplo de Intercâmbio em Família: Inglês para toda a família em Vancouver

    Para os pais: Curso de inglês geral, semi-intensivo, para fins acadêmicos ou preparatório para exames no ELS Vancouver com aulas de manhã e à tarde.

    Para os filhos: Programa de férias com aulas de manhã e atividades à tarde.

    Para todos: Aproveitar todas as atividades da escola, além de momentos juntos conhecendo os principais pontos de uma das cidades mais multiculturais do mundo.

    Idioma: Inglês.

    Países: África do Sul, Canadá, Estados Unidos, Inglaterra, Irlanda e Malta